Seguidores

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

CURSO DE ESQUEMA -TRICÔ A MÁQUINA - PARTE 1

CURSO COMPLETO DE ESQUEMA PARA TRICÔ A MÃO E A MÁQUINA - PARTE 1
  BÁSICO
   "A IMPORTÂNCIA DA AMOSTRA"



O esquema para trico a máquina, é o mesmo de corte e costura, apenas um pouco mais simples, quem quiser fazer peças simples costurando com os esquemas de tricô, fica excelente. Vai depender do acabamento de cada tricoteira ou costureira. Quanto aos acabamentos, poderei ir dando as dicas, a medida em que for fazendo as peças.

Não se esquecendo, que é MUITO FÁCIL, SUPER FÁCIL, DIVINAMENTE FÁCIL, FAZER ESQUEMAS PARA ROUPAS DE TRICÔ.

A importância do esquema, são peças bem acabadas, com excelente caimento, um capricho visto a olho nú e a distância. Você não perde material pois usa apenas o necessário e, não precisa corrigir. Não ficam aquelas peças parecendo linguiça ou saco. Nem larga demais e nem apertada em demasia.

Os cálculos são coisa de aluno primário, acho que vale a pena tentar.
Essas aulas estarão sendo feitas praticamente em tempo real, portanto, tirem as dúvidas a vontade, dentro do que estará sendo administrado. Não adianta estar ensinando medida e querer saber do gancho da calça. Quando chegar no gancho da calça, pergunte.

Fazendo a amostra de um tecido:

Selecionei 60 pontos na máquina e coloquei a metade das agulhas na posição "E" e a outra metade na posição "B"

Por que eu fiz isso? Para fazer uma amostra mais rápido e não precisar estar gastando fio de cor e nem perdendo tempo colocando a linha nas agulhas.

 Vou usar a regulagem 6 poderia ser qualquer outra, mas, vou tentar a regulagem 6. Vou usar  3 fios juntos 2/28

 As agulhas posicionadas abaixo nas posições "E" e "B"

Essa amostra vou fazer na regulagem 6, que é a regulagem que pretendo fazer a minha peça, mas poderia ser qualquer outra regulagem
 Coloquei no WT, para poder fazer as primeiras 6 carreiras da minha amostra. O WT é para facilitar o trabalho.


 Coloquei o fio

 Passei o fio por cima de todas as agulhas

 Vou segurar o fio do lado oposto do carro e passar o carro T

 Fiz a primeira carreira


Com a mão, vou trazer todas as agulhas para a frente




 E vou passar o carro T novamente

Puxo todas as agulhas para a frente novamente

E passo o carro T, vou fazer isso umas 3 ou 4 vezes, depois, passo o carro T ainda em WT e faço umas 7 carreiras.

 Tiro o WT e coloco em N

Coloco os pesos no trabalho e vou fazer umas 60 carreiras

Minha amostra.

Tirei-a da máquina, coloquei um bilhetinho para que não me esqueça como trabalhei, e, vou deixar essa amostra descansar pelo menos 4 horas. Gosto de fazer minhas amostras a noite, para usá-las no dia seguinte.



Minha amostra já descansou mais de 4 horas, pelo menos umas 12.

Vou abri-la delicadamente sem puxar e vou alfinetando numa superficie macia (uso a táboa de passar roupas)
 Pego a minha fita métrica e a agulha de croche da Elgin, digo da Elgin porque ela vem junto com as máquinas e no lado contrário da agulha de croche, ela tem uma ponta que é uma maravilha para contar PONTOS E CARREIRAS.
 Abaixo contando os pontos com a ponta da agulha de croche da Elgin. Vou contar quantos pontos tem em 10cm.
 Agora vou contar quantas carreiras tem em 10cm. No caso, 45 carreiras em 10cm

 Para aqueles que tem alguma dificuldade de contas os pontos, uma das maneiras é colocar dentro de cada ponto um alfinete, marcar os 10cm de depois contar os alfinetes.

Outra forma de contar, não fiz a foto mas, facilita muito, é a cada 5 careiras, ou a cada 5 pontos, marcar com 1 fio e 1 nó  a carreira ou os pontos. Costumo usar essa forma de contar pontos, quando uso cores escuras como o preto, pois tenho uma certa dificuldade visual com essas cores. Aí uso uma cor de contraste como o branco. Meço os 10cm e o final, conto os pontos, que nem sempre acabam com 5, pode sobrar ou faltar. Na amostra abaixo, contei 33 pontos em 10cm no tecido sem passar.

 Repare bem os alfinetes que eles pegam dentro de cada ponto

Abaixo, só para fazer um comentário, abri delicadamente a amostra e alfinetei sem forçar, queria fazer a medida desse tecido todo só para fazer um comentário adiante.


A medida da altura foi 18cm (tecido sem passar)

  A medida da largura foi 19cm (tecido sem passar)




Agora vou passar a ferro, sópara ter um outro valor em pontos e carreiras, no qual usarei mais tarde.



Agora na largura eu tenho 22cm (com o tecido passado)

 A amostra em pontos e carreiras do tecido passado, ficou da seguinte forma: 30 pontos por 42 carreiras

E na altura eu tenho 19cm (tecido passado)



Agora vejamos, se fizemos uma amostra, temos que decidir se, no final do trabalho a peça será ou não passada.  

Se fazemos um esquema com a peça sem passar, e, no final do trabalho resolvermos que queremos passar essa peça, automaticamente, ele aumentará de tamanho.

Da mesma forma, que passamos a amostra e fazemos o esquema baseado nos pontos da amostra passada, e, no final do trabalho resolvermos não passar a peça, o resultado final será uma peça um pouco menor que o esperado.

Calculando grosseiramente se em 10cm temos cerca de 3 pontos ou 3 carreiras a mais ou a menos, se usarmos a medida de uma circunferencia de quadril em torno de 100cm, então em pontos, teremos a mais cerca de 30 pontos ou seja, quase 10cm de diferença.
Resumindo, não dá para improvisar, a decisão tem que ser tomada antes de fazer o esquema, se a peça vai ou não ser passada. 

Abaixo, um exemplo típico do ferro de passar roupa. Na peça abaixo foi usado fio para bebe da cisne, esses que vem em novelo.
A parte da frente do suéter não foi passada.
A parte da costa foi passada.
Percebe-se a diferença de alguns centimetros na peça.
Outra coisa que pecou e muito, foi que a parte que não foi passada, ficou de uma maciez impar, muito gostosa ao toque, super fofinha. Quanto a parte que foi passada, ficou fria e sem vida, sem nenhuma maciez. Mais parecendo roupa velha bem esticada. 

Outra cultura nossa, é a vaporização. Podemos vaporizar algumas peças, tais como: saias, vestidos, coletes leves,  echarpes, chales, etc. Mas casacos, sueteres, puloveres, inclusive os infantis, dentro do possível, o ideal seria nunca  faze-lo.

Depois do advento da internet, se fizermos uma pesquisa em revistas atuais e antigas, principalmente as estrangeiras, verá que o ferro só é usado em determinadas peças, ou melhor, em pouquissimas peças.

Bem, como gosto não se discute, isso não quer dizer que todas as regras devam ser seguidas, pois o gosto depende de cada um, mas que uma peça bem feita e bem acabada faz vista, ha isso faz, sendo essa toda a diferença do trabalho artesanal manual e o das máquinas industriais.






A parte de cima não foi passada, a parte de baixo, foi passada.


Nossa próxima etapa, fazendo um esquema com diversas modelagens.







45 comentários:

Maria Aparecida disse...

Adorei pois tenho difculdades ainda com esquemas.

fernanda disse...

gostei muito da sua iniciativa vou procura-la algumas vezes... obrigada

Rosa disse...

Nem acredito que você visitou o meu blog! Você é "A" tricoteira, estou sempre por aqui dando uma olhada, te admiro muitíssimo. Adoro o seu grupo de tricô, sempre me socorro das receitas de lá. Beijão e obrigada!

Paulo disse...

Oi Wilma. Apesar do tempo que teço, tenho problemas ainda com os esquemas. Muito obrigado!
Paulo.

Wilma Pizza disse...

Maria Aparecida e Paulo, seus problemas acabaram, vocês vão ver como é simples e fácil. Agora, não tem como e é até impossivel ensinar tudo de uma só vez, a medida em que for fazendo as peças junto com o esquema, vou ensinando os macetes e os acabamentos, que vai melhorar a confecção de vocês.

Wilma Pizza disse...

Rosa, sempre que posso vou visitá-la, só não te seguia ainda pois nem sabia como era isso, agora já sei e sigo. Gosto muito das suas postagens. Bjks.

Angela Maria disse...

É aí, amiga!

Fr Promotora disse...

Continue nos ensinando Wilma, vc é o máximo.
Adorei..........

Anônimo disse...

OBRIGADA , VC É DEMAIS, OBRIGDA RACHEL

Aline Peres disse...

Olá, tudo bem? Achei seu blog na lista do blog "Siga-me", vim conhecer e já estou te seguindo, amei seu blog! Parabéns!!
Vem seguir o meu também? Ficarei muito feliz. (:

http://distantedoquesou.blogspot.com.br/

Abraços e obrigada.

Paulo disse...

Seria possível tirar umas dúvidas?
Quando você passa a amostra, você encosta o ferro de passar no tecido?
Outra coisa, é preciso passar bastante ou uma passada do ferro?

Obrigado pelas palavras.

Tudo de bom,
Paulo.

Paulo disse...

Seria possível tirar umas dúvidas?
Quando você passa a amostra, você encosta o ferro de passar no tecido?
Outra coisa, é preciso passar bastante ou uma passada do ferro?

Obrigado pelas palavras.

Tudo de bom,
Paulo.

Wilma Pizza disse...

Paulo, respondendo sua pergunta:
Você pode passar da maneira que lhe convier, ou ainda, nem passar.
1) se quero apenas assentar o tecido se for necessário, passo levemente apenas usando a vaporização, geralmente nas bordas.
2) Os tecidos onde a beleza deles é o alto relevo, nem sonhar, ferro nem pensar.
3)Alguns tipos de tecidos feitos no tuck, se for em lã, você vai matar o ponto, se for em linha, vai virar outro ponto, em linha fica até interessante um tuck tipo conchinha passado ou bem passado.
4) Você quer uma peça tipo uma saia ou um vestido, de modo que a peça tenha balanço, quando a mulher anda, o tecido acompanha o movimento do corpo, esse tem que ser muito bem passado, com o ferro direto na peça.
5) Uma blusa com manga bufante e punho, se for um tecido leve, tem que ser muito bem passado. Muitas vezes passa-se a manga e não passa o corpo da blusa.
Enfim, tudo vai depender do bom senso de quem está confeccionando a peça.

Um exemplo que vai cair muito bem. Uma calça social. Temos 4 exemplos para uma calça social, é só puxar sua memória, ou quando for no shoping reparar:
1- C & A
2- Casa Colombo
3- Costureira
4- Brooksfield e finalmente
5- um alfaiate
Temos 5 calças, 5 cortes iguais, 5 modelos com o mesmo tecido e 5 maneiras diferentes de confeccionar.
Faça esse exercício e observe. Os bolsos são os mesmos, as barras, o corte, algumas vezes o tecido, as pregas, enfim pouco diferença. Mas, se olhar um pouquinho mais vai começar a perceber que os modelos continuam sendo iguais, mas a confecção é bem diferente.

Tive essa semana na Via Venetto, para ver um agasalho que meu sobrinho queria. Na feira tinha um igualzinho, acho até que mudaram apenas as etiquetas. A diferença entre um e outro, é que o da Via Venetto, tinha uma maciez impar e o da feira, parecia ter sido passado a ferro não mostrava a maciez e nem fazia a vista do outro que era muito fofinho.

Sabe um lugar bom para discutirmos,seria a lista do Yahoo, as fotos aqui vão bem, porque se eu quiser acrescentar alguma coisa, é perfeito. Mas quanto a assunto, não estou sabendo lidar bem com isso.

Rosa disse...

Eu de novo, só prá dizer: simplesmente perfeita! Se o programa Arte Brasil também apresentasse tricô à máquina, você deveria ser a professora e porta-voz dessa arte. Parabéns!

Wilma Pizza disse...

Rosa, muita gentileza sua. Muito obrigada. Já estou preparando a parte 2, até mais tarde posto no blog. Forte abraço.

eliana ferreira disse...

Oi te encontrei no SIGA-ME e ja estou te seguindo, venha me seguir tbm
eliana-ferreira.blogspot.com.br

Tânia disse...

"Oi , vi seu blog na lista do blog "Siga-me" vim conhecer e já estou te seguindo , vem seguir o meu também"
http://artecercroche.blogspot.com.br/

Paulo disse...

Agradeço muito a sua gentileza em responder-me, Wilma, pois tirou minhas dúvidas. E pode deixar, viu, se tiver outras dúvidas, pergunto lá no Grupo.
Tudo de bom,
Paulo.

Paulo disse...

Agradeço muito a sua gentileza em responder-me, Wilma, pois tirou minhas dúvidas. E pode deixar, viu, se tiver outras dúvidas, pergunto lá no Grupo.
Tudo de bom,
Paulo.

bebea disse...

Wilma, te seguindo por onde fores.

A resposta ao Paulo foi maravilhosa. Já tinha observado essas diferenças, mas nunca imaginaria que um simples passar daria essa diferença toda.

Com carinho,
Beatriz Marcondes Bé
http://bybebea.blogspot.com.br/

Wilma Pizza disse...

Olá Beatriz, o passar faz toda uma diferença, mas, NÃO PODE SER EM TODAS AS PEÇAS. Por exemplo, nas roupas de bebes que são super fofinhas, você mata a roupa de bebe, agora vai dpender do tipo de roupa, a decisão tem que ser bem equilibrada. Vai ter também, a parte de confecção junto com o esquema, você vai ver a diferença em diversos tipos de acabamentos. Dependendo do acabamento, também mata a roupa.
Abraços.

Tathy e Bya disse...

querida... parabéns pelo excelente explicação do PAP... mesmotricotando a algum tempo, sinto dificuldades... amei, muito instrutivas!!!! beijocas linda,

Wilma Pizza disse...

Obrigada Thaty,
A medida em que vou fazendo as postagens, as idéias vão surgindo. Já acrescentei o parte de confecção, e em breve as receitas. Espero que ajude vocês. Abs

Mariana Mayumi disse...

Ola...
Estou a procura de quem possa reproduzir um modelo de uma blusa de trico.(POSSUO FOTOs)
Por acaso voce faz a reproduçao ou somente da aulas???

Obrigada

Zilá disse...

Oi !!! Encontrei seu blog por acaso ontem... Já tive há muitos anos uma máquina de tricô, era apaixonada por ela , fazia algumas coisinhas por motivos financeiros tive q vendê-la . Passei quase 30 anos desejando muito outra máquina ... Deus me deu 2 !!!Uma brother 840 e outra silver reed . Agora te achei !!! Deus é bom , pois estou tendo dificuldades para recordar... Obrigada e q Deus te Abençoe....Posso voltar ?

Rosiane Faustino disse...

boa tarde muito boas as suas dicas de trico,você poderia me dizer se na maquina de trico elgin brother 840 pode-se usar fios de lã grossa,tipo aquela de novelo.

Nilvia disse...

Mas bha menina adoro suas explicações, cvc é demais,bjs e obrigado por nos ajudar,fique com deus.

Nilvia disse...

Mas bha menina adoro suas explicações, cvc é demais,bjs e obrigado por nos ajudar,fique com deus.

Ana Maria disse...

olá, um muito obrigada , aqui de Portugal. comprei uma máquina em 2ª mão e precisava mesmo de dicas porque não sei trabalhar com ela. Aqui em Portugal, o pessoal não partilha os conhecimentos,:( . Mais uma vez , obrigada, :)

Wilma Pizza disse...

Sinta-se a vontade e bem vinda. Vá acompanhando o blog que vai ter muitas novidades. Abraços. Wilma Pizza

Marisa Monteiro disse...

Wilma,

Estou precisando encomendar 03 sueters masculinas com motivos natalinos para uma apresentação.
Você faz, ou poderia indicar alguém aqui no Rio de Janeiro?

Grata

Marisahmonteiro@gmail.com

Marisa Monteiro disse...

Preciso de alguém que possa confeccionar 03 sweters masculinas com motivos de natal para o dia 22 de outubro.
Você faz? Poderia me indicar alguém aqui no Rio de Janeiro?

Grata

Adriana disse...

Alguem sabe me informar de algum curso prático de trico de maquina?

Wilma Pizza disse...

Adriana, de qual cidade você é? No Rio de Janeiro tem professoras, em São Paulo tem professoras e cursos. O Senai até a pouco tempo tinha um curso de trico a máquina. Em Curitiba tem lojas e professoras, depende de onde você está. Abs.

claudia abreu disse...

Olá.acabei de comprar uma lanofix sk 210 usada e estou com dificuldades pra aprender a mexer com ela,já tive uma brother 840 e me parecia mais fácil,moro em Bragança Paulista e por aqui não tem nenhum lugar que ensine.Gostaria de saber se tem muita diferença as duas máquinas citadas pois ainda me lembro de algumas coisas da brother,mas não muito pois já fazem uns 17 anos que não mexo com isso.Vc pode me ajudar com algumas dicas? Quero te parabenizar pelo blog ,adorei!

claudia abreu disse...

Olá.acabei de comprar uma lanofix sk 210 usada e estou com dificuldades pra aprender a mexer com ela,já tive uma brother 840 e me parecia mais fácil,moro em Bragança Paulista e por aqui não tem nenhum lugar que ensine.Gostaria de saber se tem muita diferença as duas máquinas citadas pois ainda me lembro de algumas coisas da brother,mas não muito pois já fazem uns 17 anos que não mexo com isso.Vc pode me ajudar com algumas dicas? Quero te parabenizar pelo blog ,adorei!

Wilma Pizza disse...

Olá Cláudia. Tem uma pequena diferença entre as máquinas sim. Mas, você pode ver na www.lanofix.com.br que eles dão aulas ou, pode entrar no grupo da Angela e tirar as dúvidas entre as máquinas. Só trabalhei com alguns modelos de lanofix, mas, aquelas máquinas dos anos 40, que é bem diferente das atuais. O endereço da página da Angela é: https://www.facebook.com/groups/tearetrico/. Abs

Wilma Pizza disse...

Olá Cláudia. Tem uma pequena diferença entre as máquinas sim. Mas, você pode ver na www.lanofix.com.br que eles dão aulas ou, pode entrar no grupo da Angela e tirar as dúvidas entre as máquinas. Só trabalhei com alguns modelos de lanofix, mas, aquelas máquinas dos anos 40, que é bem diferente das atuais. O endereço da página da Angela é: https://www.facebook.com/groups/tearetrico/. Abs

Auta Rangel disse...


Adorei a aula. Muito obrigada.

Regina Codreanu disse...

Oi, Wilma... adorei teu blog...
Parabéns!!! Vou colocar um link dessa postagem no meu blog... dá um pulinho lá... eu não tenho tempo para nada, nem para visitar as os outros blogs, que são ótimos também.
bjusss... e fique com Deus.

Unknown disse...

Adorei! mais gostaria de saber como faz as medidas das pessoas e depois passa para a blusa?

Rosane disse...

Adorei! Gostaria de saber como faço para acessar suas aulas e se é de graça?
Ro

Maria de Lourdes Dias disse...

Parabéns pela explicação e pelo trabalho. Gratidão por compartilhar.

Maria Ines Vasquez disse...

Olá Wilma: Muito bom ter alguém que queira ensinar ,eu estou com algumas dificuldades, fiz tudo direitinho ,passo a passo o que vc ensino em essa 1ªparte ,mais não entendo porque sempre estão fugindo alguns pontos das agulhas ,já tentei em duas máquinas que eu tenho e as duas me dão o mesmo resultado ,mais na segunda carreira, elas ficam pulando muitos pontos, obrigada se puder me ajudar não tenho experiência ,quero aprender. Maria Ines

Wilma Pizza disse...

Olá Maria Ines, boa noite!

Fugir os pontos das agulhas, é relativo, em que tipo de trabalho?
Como você está falando que na segunda carreira foge mais, pode ser que não esteja trazendo as agulhas para a frente nas 3 primeiras carreiras, ou, não está colocando o pente logo no inicio assim que passa a linha na agulha, também pode ser falta de peso, a tensão pode estar muito frouxa, a regulagem não estar de acordo com o fio a ser usado, pois nem sempre a regulagem da máquina de uma amiga, vai ser a mesma na sua. Aguardo. Abs. Wilma Pizza